8:00h - 18:00h

19 3623.1518

E-mail

lamesa@lamesa.com.br

Processo de Fabricação

Processo de Fabricação


Processo de Fabricação


Atualmente os condutores elétricos isolados mais utilizados nas residências são compostos por condutor de cobre flexível e isolação de PVC. O produto LAMESA para essa utilização são os CABOS LAMEFLAM FLEX com excelentes propriedades elétricas e mecânicas, garantindo uma rede elétrica segura e durável. Os CABOS LAMEFLAM FLEX apresentam também uma ótima flexibilidade e deslizamento, facilitando em muito a sua instalação.


A LAMESA é uma empresa que tem o seu Sistema de Garantia de Qualidade certificado de acordo com a ISO 9001 e todos os seus produtos são produzidos estritamente de acordo com as especificações de normas nacionais (ABNT), internacionais ou dos próprios clientes.


As especificações dos produtos determinam para cada tipo e bitola (seção de cobre) os requisitos elétricos, dimensionais, mecânicos e químicos que devem ser atendidos. Todas as matérias-primas utilizadas na fabricação dos produtos LAMESA são também especificadas por normas e devidamente controladas no recebimento.


Vamos agora conhecer o PROCESSO DE FABRICAÇÃO LAMESA dos cabos de cobre isolados:


1 - Trefilação

O cobre para fabricação de condutores elétricos deve ter concentração mínima de 99,9% de cobre e é fornecido normalmente, no Brasil, em vergalhões de 8 mm de diâmetro. As características elétricas e mecânicas especificadas por normas classificam como cobre mole. Os condutores elétricos podem ser compostos por um único fio (condutor sólido) ou por vários fios (cabo ou corda). Para reduzir o vergalhão de 8 mm em fios com diâmetros menores é utilizado o processo de trefilação, que consiste em estirar o vergalhão, de forma controlada e sequencial, até obter o diâmetro especificado.


As máquinas para trefilação, denominadas de trefilas, consistem de várias polias rotativas que fazem o puxamento do(s) fio(s) e, através de ferramentas (fieiras), vão estirando e reduzindo sequencialmente os diâmetros. Nesse processo é utilizado uma solução de óleo para a lubrificação da passagem do fio pela fieira e também para o resfriamento desse fio. Sequencialmente e de forma contínua os fios passam por um recozedor para recuperar as características elétricas e mecânicas do cobre mole.


A 1ª fase é a trefilação primária que reduz o vergalhão de 8 mm até o diâmetro de 1,8 mm, acondicionando em cestos, os quais serão utilizados como alimentação para a fase seguinte.


A 2ª fase é a trefilação fina que reduz o diâmetro de 1,8 mm até os diâmetros finais especificados para cada bitola do condutor, podendo chegar abaixo de 0,200 mm. Nessa fase o processo é feito em trefilas multifilares, nas quais são trefilados simultaneamente até 16 fios (acondicionados em bobinas), seguindo a mesma sistemática de processo.


As trefilas utilizadas na LAMESA são equipamentos modernos e automatizados que trefilam os fios de forma contínua e com qualidade constante, podendo atingir velocidades acima de 30 metros por segundo (1.800 metros por minuto).

2 - Reunião ou Encordoamento

Os condutores flexíveis de cobre são formados por vários fios finos, sendo que o diâmetro máximo do fio para cada bitola é especificado por norma. O processo consiste em reunir a quantidade de fios calculada para cada bitola, formando uma “corda”. O tipo de máquina é denominada Reunidora (ou Buncher, em inglês) que utiliza como alimentação os fios das trefilas multifilares formando uma “corda” com perfil circular, homogêneo e com a máxima flexibilidade possível.


As reunidoras utilizadas na LAMESA possuem painéis de controle digitais que possibilitam a programação dos parâmetros do processo de fabricação de forma precisa e uniforme.

3 - Isolamento

Os condutores necessitam de uma isolação para serem instalados em contato com outros materiais (tubulação, conectores, outros cabos, etc). Essa isolação tem como função a proteção elétrica (evitar curto circuito) e proteção física. O tipo de isolação mais utilizado em condutores para instalação residencial é o PVC, que resumidamente é um plástico com boa resistência de isolação elétrica, isolação térmica, resistência mecânica, fácil de aplicar e com bom custo/benefício, sendo fornecidos normalmente em grãos.


O processo para aplicar essa isolação é denominado Extrusão, que consiste em aquecer os grãos em uma rosca dentro de um tubo, formando uma massa maleável, que pressionada em ferramentais, molda sobre o condutor uma camada cilíndrica, uniforme e contínua, sendo em seguida resfriada para manter o formato e aderir de forma adequada ao condutor. A isolação apresenta a coloração conforme especificada nas normas técnicas, essa coloração pode ser pigmentando integralmente a massa ou utilizando uma extrusora auxiliar (co-extrusão) que aplica uma fina camada externa incorporada integralmente à camada base.


As linhas de extrusão da LAMESA são equipamentos modernos que aplicam a isolação continuamente com controles dimensionais automáticos de acordo com os parâmetros do processo de fabricação; além de contar com equipamentos auxiliares que detectam qualquer falha na camada isolante.

4 - Corte e Embalagem

A fase final do processo de fabricação consiste em cortar, de forma contínua e com precisão, lances em metragem padrão (rolos de 100 metros ou em carretéis com metragens maiores) ou de acordo com a necessidade do cliente, acondicionar em embalagens e aplicar etiquetas de identificação em conformidade com as instruções normativas brasileiras.


As embalagens dos rolos, além de proteger os produtos, possibilitam um manuseio adequado na utilização.

Entre em contato

Rua Lamesa, 414 - Bairro São Marcos
13876-023 - São João da Boa Vista - SP
Telefone: (19) 3623.1518

Veja como chegar

SAC

0800 16 16 42

E-mail

lamesa@lamesa.com.br